Português Italian English Spanish

Servidores da educação decidem manter greve até que governo apresente proposta em MT

Servidores da educação decidem manter greve até que governo apresente proposta em MT

12/06/2019

Em uma assembleia realizada na tarde desta segunda-feira (10), os servidores da rede estadual de educação decidiram manter a greve, que teve início há duas semanas. Os trabalhadores cobram o cumprimento da lei de carreira e recomposição das perdas salariais.

Os profissionais querem que o governo do estado apresente uma proposta para a reivindicações da categoria. Entretanto, a administração estadual informou que não tem dinheiro para atender ao pedido dos servidores.

A greve foi decretada no dia 27 de maio. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), os profissionais querem o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) de 2018 e a convocação dos aprovados no concurso público para ocupar as vagas que estão abertas.

A categoria alega ainda que o governo negou o direito da RGA aos trabalhadores da educação, mas concedeu a revisão aos poderes legislativo e judiciário.

Mais de 300 escolas da rede estadual aderiram a greve. Ao todo, cerca de 40 mil profissionais decidiram parar as atividades. Cerca de 390 mil estudantes estão sem aulas.

Após assembleia, servidores da educação decidem manter greve em MT â?? Foto: Sintep-MT

Corte de pontos

No segundo dia de greve, o governo anunciou que iria cortar o ponto dos servidores que tivessem aderido à greve.

De acordo com a assessoria de comunicação, o estado decidiu obedecer à determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) que trata do corte de ponto de grevistas.

“Conforme o STF, o ponto deve ser cortado imediatamente à deflagração do movimento grevista. Com o fim do movimento, os profissionais podem repor as aulas, caso haja acordo entre Poder Executivo e servidores, e serão remunerados pela reposição”, disse o governo em nota.

Salários

O governo também anunciou cortes nos salários dos profissionais em greve. Por um equívoco, os que não estão em greve também foram atingidos, mas a administração estadual informou que irá corrigir o erro.

 

FONTE: G1MT

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS