Português Italian English Spanish

Moro admite que Lava Jato combateu PT; petista de MT rechaça: "réu confesso"

Moro admite que Lava Jato combateu PT; petista de MT rechaça: "réu confesso"


Sérgio Moro cometeu o “ato falho” enquanto criticava o governo do presidente Jair Bolsonaro, do qual foi ministro da Justiça e saiu fazendo denúncias de ingerência na PF

O ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, pré-candidato à Presidência pelo Podemos, admitiu   que    Lava Jato “combateu o PT”. No entanto, corrigiu o “ato falho” e alegou que a operação somente descobriu “esquemas de corrupção” e revelou “o que o PT verdadeiramente é”.

Moro cometeu o “ato falho” enquanto criticava o governo do presidente da República Jair Bolsonaro (PL), do qual foi ministro da Justiça e saiu fazendo denúncias de ingerência na Polícia Federal. Além disso,  o presidenciável rechaçava o apoio de integrantes do Podemos, como o deputado federal de Mato Grosso José Medeiros, ao bolsonarismo.

“Como é que a gente pode defender um governo desse? Com pessoas na fila de ossos, um governo que foi negligente com as vacinas, um governo que ofende as pessoas, um governo que desmantelou o combate a corrupção.   “Tudo isso por medo do quê? Do PT? Não. Tem gente que combateu o PT na história de uma maneira muito mais efetiva, muito mais eficaz: a Lava Jato”, disse Moro em entrevista à Rádio Capital FM, nesta quarta (29).

Depois, Moro recuou da vinculação da Lava Jato ao combate ao PT. Mas continuou defendendo que não se pode apoiar Bolsonaro por “questão política” ou para “ganhar eleições”.

Réu confesso

A vereadora Edna Sampaio, principal liderança do PT em Cuiabá, avalia que Moro cumpriu o papel de “réu confesso” ao cometer o suposto ato falho durante a entrevista. Segundo a petista, o presidenciável do Podemos já não consegue disfarçar o papel que cumpriu na “destruição do país, da democracia e das instituições” em nome de um projeto de poder.

“Essa destruição, da qual Sérgio Moro foi agente, se revela na fila dos ossos. Esse ex-juiz cometeu crime de lesa pátria, deveria estar  impedido de concorrer a qualquer cargo público e se vê na legitimidade de confessar seus crimes”, afirma a parlamentar.

Conforme Edna Sampaio, é legítimo e democrático não gostar do PT nem votar nos candidatos petistas.  O crime, segundo ela, está em   utilizar o Judiciário para perseguir o partido e o ex-presidente Lula.

“A  partir da desconstrução do papel do Judiciário pela Lava Jato  temos uma tragédia social que reflete na fila dos ossos. Os governos do PT foram os  que mais avançaram na implementação da Constituição de 88  e o que a Lava Jato promoveu foi  perseguição ao presidente Lula, destruição da sua imagem e dos governos petistas. Moro foi um juiz  indecente, criminoso e  imoral. Em qualquer democracia do mundo, ele não estaria livre para se vangloriar dos seus crimes como se fossem motivo de orgulho”, concluiu.

 

 

Jacques Gosch

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

Banner Superior Esquerda

Banner Central Esquerda

Banner Inferior Esquerda

 

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS