Português Italian English Spanish

Policial que fez desafeto "fugir" e quase deixou comerciante cego perde aposentadoria em MT

Policial que fez desafeto "fugir" e quase deixou comerciante cego perde aposentadoria em MT


Fatos que resultaram na condenação de policial ocorreram em 2009; Hiroshi Wakiyama se aposentou em 2019

O governador Mauro Mendes (DEM) cassou a aposentadoria do policial civil aposentado Hiroshi Wakiyama, vulgo “Japão”, que agrediu e ameaçou a família de um comerciante no ano de 2009, em Cuiabá. A determinação é da última terça-feira (13).

 

 

 

 

Segundo a publicação, um processo que determinou a perda do cargo público do investigador aposentado transitou em julgado no ano de 2019, ou seja, sem possibilidade de recurso. “Diante da decisão judicial, transitada em julgado na data de 30/04/2019, que condenou o acusado, Hiroshi Wakiyama, investigador da polícia, à perda de cargo público [...] Amparado em Despacho da Procuradoria Geral do Estado, aplicar a pena de perda de cargo público ao servidor aposentado Hiroshi Wakiyama com efeitos a partir de 30/04/2019, convertendo-a em cassação de aposentadoria uma vez que a infração fora cometida quando o servidor ainda estava em atividade e a sentença judicial transitou em julgado antes da aposentação voluntária”, diz trecho da publicação.

O policial civil aposentado foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 2019. A Corte derrubou uma decisão dos desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), que “livraram” o investigador da perda do cargo público, mesmo condenado em primeira instância no Poder Judiciário Estadual.

Segundo informações do processo, o investigador da PJC foi até um estabelecimento comercial em Cuiabá, no ano de 2009, e disse que o filho do proprietário do comércio teria disparado tiros de arma de fogo em frente a sua residência. O pai negou o comportamento do rapaz, e ouviu de Hiroshi Wakiyama que ele faria seu desafeto “andar de joelhos” se o encontrasse. Em virtude das ameaças, o pai fez com que o filho se mudasse para Mato Grosso do Sul.

“Atemorizado pelas ameaças, já que desferidas por policial, que diuturnamente porta arma de fogo e, encontrava-se aparentemente descontrolado, o senhor encaminhou seu filho para o estado de Mato Grosso do Sul, e, em 26/10/2009, noticiou a ocorrência à Corregedoria Geral da Policia Civil, bem como apontou testemunhas que haviam presenciado as ameaças direcionadas pelo denunciado”.

Em resposta à denúncia do comerciante na Corregedoria, o policial civil voltou ao estabelecimento e agrediu o homem, que acabou desmaiando e precisando de atendimento médico. O processo revela que as agressões teriam sido tão violentas que a vítima perdeu 70% da visão do olho esquerdo.

O proprietário do estabelecimento, porém, não se intimidou com o comportamento violento do policial civil aposentado e registrou um boletim de ocorrência contra ele, além de ir novamente à Corregedoria da PJC relatar os fatos. A sindicância deu origem ao processo judicial que determinou a perda do cargo do investigador.

Hiroshi Wakiyama atuava na Delegacia de Meio Ambiente (Dema), e foi um dos homenageados pela Diretoria-Geral da Polícia Civil, no mês de março de 2020, em “ reconhecimento pela dedicação e atuação honrosa”.

 

 

DIEGO FREDERICI
Da Redação

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

Banner Superior Esquerda

Banner Central Esquerda

Banner Inferior Esquerda

 

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS