Português Italian English Spanish

"Queremos mais que aplausos", apela enfermeiro, sobre cansaço da classe

"Queremos mais que aplausos", apela enfermeiro, sobre cansaço da classe


11/01/2021

"Fomos tratados como heróis em muitos momentos, recebemos aplausos, mas heróis têm escudo de proteção e são imortais, enquanto nós temos alta taxa de mortalidade e adoecimentos”. O relato é do enfermeiro Ademilson Pereira, de 42 anos. Ele é um dos profissionais que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus na UTI do Hospital e Pronto-Socorro de Cuiabá, referência da pandemia.

Quase 10 meses após o primeiro registro da doença em Mato Grosso, profissionais relatam uma série de dificuldades enfrentadas. Para além do cansaço físico, há a exaustão mental e o medo em ter de lidar com uma doença que, ao que tudo indica, está longe do fim. Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) apontam que os casos voltaram a avançar vertiginosamente a partir da segunda quinzena de dezembro.

enfermeiro ademilson  segunda onda 2ª onda

Tentativa de manter o humor e companheirismo nos plantões intermináveis, cheios de pacientes em estado grave

No boletim de sábado (9), aparecem mais 920 novas infecções. Desde o início da pandemia, foram mais de 189 mil casos no Estado. Desses, 4,38% eram profissionais da área da saúde. A maioria, conforme o boletim epidemiológico, são técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos.

“Nós não temos muitas das vezes um programa sério que se preocupe com a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras. A gente percebe que só de aplausos, só de tratar a gente como herói, nós não vamos sobreviver. Isso não vai nos dar vida e nós não vamos ter proteção. Precisamos ser valorizados e ter uma jornada mais justa”, relatou.

A exemplo de países da Europa, dados evidenciam que a chamada segunda onda da pandemia chega ao Brasil. Se antes o medo dos profissionais vinha do desconhecimento acerca do vírus, hoje ele vem da certeza de sua letalidade. Apenas em Mato Grosso, foram mais de 4,6 mil mortes desde maio. Para o enfermeiro, insegurança sobre a própria vida e sobre a vida dos familiares é uma constante.

“Nesse pico, o medo se mantém. Medo de levar o vírus para casa também. Nossa família também tem medo. A gente sofre com essa questão. Existem profissionais que já tiveram contato com o vírus, que já foram contaminados e que já passaram por tratamento, mas que hoje sofrem no retorno para o trabalho com as sequelas”, relatou.

enfermeiro ademilson  segunda onda 2ª onda

Classe quer mais que aplausos: EPI eficiente

Respiração comprometida, fibrose pulmonar, problemas cardíacos e neurológicos são alguns dos problemas apontados como possíveis de serem desenvolvidos após a infecção e cura do novo coronavírus. Ademilson afirmou que profissional fica apático, sem energia para trabalhar e, por isso, não pode desenvolver seu trabalho com a mesma desenvoltura que antes.  

Há, ainda, a vigilância constante para não se contaminar com o vírus. Nos ambientes de descanso, apesar das condições, é preciso continuar atento. Nos quartos compartilhados com outros profissionais, enfermeiros dormem de máscara e enfrentam o receio de lidar com o que Ademilson chamou de “mal invisível”.

Para lidar com o conflito, enfermeiro pontuou que é necessário que profissionais sejam mais valorizados. Em sua opinião, seria ideal que jornada fosse reduzida, que salários fossem melhores e que condições de trabalho fossem ampliadas. Segundo ele, é preciso ter saúde física e mental para lidar com a saúde do outro.

“O cansaço físico é inevitável pelo fato de que a nossa jornada de trabalho é exaustiva. O profissional muitas vezes precisa trabalhar em dois lugares para conseguir dar conta de suas despesas. A gente precisa de um ambiente de repouso, precisa de um ambiente higienizado, mas às vezes tem que dormir em um colchão no chão e não tem nenhuma cama para fazer os horários de repouso e tirar a exaustão”, finalizou.

 

 

Ana Flávia Corrêa e Keka Werneck

 

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS