Português Italian English Spanish

Juiz acata pedido do MP e assassina do enfermeiro Leonídio Borges, o Léo, ira a júri popular

Juiz acata pedido do MP e assassina do enfermeiro Leonídio Borges, o Léo, ira a júri popular


29/04/2020

Após o assassinato do enfermeiro Leonidio Borges Leal, Jucelia Alves dos Santos chegou a ser presa, mas logo foi colocada em liberdade pela justiça através da atuação do seu advogado que alegou nos autos que sua cliente sofria de distúrbios mentais.

 

 

 

 

 

 

 

 

Após assassinar o enfermeiro Leonídio Borges Leal e respirar ares de impunidade, Jucelia Alves, em companhia do seu cumplice Lorisvaldo Francisco Rocha, praticou outro crime em  26.07.2018, um latrocínio seguido de morte, que ceifou a vida da vendedora de joias, a aposentada e moradora de Aragarças-GO, Elza Aparecida Flôres Santos (66 anos). Segundo laudos periciais ela foi morta por asfixia e estrangulamento, seu corpo foi escondido em um matagal.

Na época o crime brutal foi manchete na imprensa e chocou a população das três cidades circunvizinhas. Segundo a policia, a dupla amarrou e sequestrou a vitima na cidade de Aragarças(GO) para roubar seu veiculo e a levou ate uma estrada vicinal da zona rural no Distrito de Vale dos Sonhos, município de Barra do Garças (MT) onde cometeram o crime.

Durante o interrogatório a Polícia Civil de Barra do Garças também descobriu que Jucélia havia matado o garimpeiro Jailson Francisco, de 62 anos, também em Aragarças, no dia 31 de dezembro 2017, seu corpo foi encontrado próximo ao lixão de Barra do Garças dois dias após o crime.

As investigações apontaram que Jucélia e seu cumplice mataram o garimpeiro Jailson Francisco por asfixia e estrangulamento, eles usaram um pedaço de fio de aço para cometer o crime, em seguida roubaram um picuá (objeto usado para guardar minério) onde ele guardava pequenas pepitas de ouro extraídas de garimpos da região.

Em tese, entende-se que se não fosse esses dois crimes praticados por Jucélia, pelos quais foi condenada junto com seu comparsa, dificilmente seria desvendado a morte do enfermeiro Leonídio Borges, a atuação da policia científica foi primordial para comprovar a materialidade do crime praticado contra o enfermeiro, haja vista que o modus operandi praticados nos outros crimes foram semelhantes.

Segundo membros da família do enfermeiro, embora os assassinos sejam condenados, a vida do Leonídio não será trazida de volta, mas justiça será feita e ira amenizar a dor dos familiares e acalmar o corações de muitos pela certeza de que os culpados não ficarão impunes.

Ao enaltecer a atuação do MP, o historiador e professor aposentado Luiz Borges Leal, que é irmão da vitima, lembrou-se da persistência e da presteza da promotora de justiça, Drª Vania Marçal, que não mediu esforços para desvendar o crime.  “lutar por justiça foi o melhor caminho que encontramos para se fazer justiça de verdade, o assassinato do meu irmão foi sufocante para todos nos, mas Deus se encarregou de tudo e colocou as pessoas certas no caso e no momento certo”. Disse Luiz Borges. 

De acordo amigos próximos da vitima, o que a família sempre almejou foi provar a autoria do assassinato, o grau de periculosidade da assassina e leva-la a júri popular, nada além disso.

A data do júri ainda não foi marcada, de acordo apurou o site Noticia dos Municípios, assim que o Forum de Aragarças retomar suas atividades normais, devido a pandemia do corona-19, o magistrado da comarca dará prosseguimento a inclusão de pautas de julgamento para 2020, ocasião em que a ré Jucelia Alves dos Santos devera ser inclusa na lista. A suspeita segue presa em um presidio de segurança feminino na cidade de Israelândia-GO.

Existe a expectativa de que o júri do enfermeiro Leonídio Borges ira movimentar toda a região do Vale do Araguaia, tanto pelo lado goiano como pelo matogrossense, principalmente as cidades de Barra do Garças(MT), Pontal do Araguaia(MT) e Aragarças(GO), pelo fato da vitima ser bastante querida na região devido ao seu prestativo trabalho desenvolvido em prol da saúde publica nas referidas cidades.

De acordo informações obtidas pela nossa reportagem, pelos outros assassinatos Jucelia Sousa foi condenada a 29 anos de reclusão em regime fechado, já o seu comparsa Lorisvaldo 27 anos, resta ainda ser julgado o homicídio praticado contra o enfermeiro Leonídio Borges Leal.

Decisão proferida pelo juiz da comarca

ISTO POSTO, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE O PEDIDO FORMULADO NA DENUNCIA, COM O ESCOPO DE PRONUNCIAR A ACUSADA JUCELIA ALVES DOS SANTOS BORGES, VIUVA, DO LAR, PORTADORA DA CEDULA DE IDENTIDADE N.001.694.341 SEJUSP/MS, INSCRITA NO CADASTRO DE PESSOA FISICA N.040.858.661-33, RESIDENTE E DOMICILIADA NA RUA RAFAEL GOMES PEREIRA, N 448, BAIRRO CENTRO ADMINISTRATIVO, CEP 76240-000, ARAGARCAS, GOIAS, COMO INCURSA NO ARTIGO 121, 4, C/C COM O ARTIGO 13, 2, ALINEA B, DO CODIGO DE PENAL, PELA PRATICA DE HOMICIDIO CONTRA A VITIMA IDOSA LEONIDIO BORGES LEAL, DETERMINANDO, DE CONSEGUINTE, QUE SEJA SUBMETIDA A JULGAMENTO PELO TRIBUNAL DO JURI DESTA COMARCA. NEGO O DIREITO DA ACUSADA DE RECORRER EM LIBERDADE, HAJA VISTAQUE NO EXERCICIO DA LIBERDADE DEFERIDA NESTES AUTOS FOI PRESA, PROCESSADA E CONDENADA EM PRIMEIRO GRAU DE JURISDICAO PELA PRATICADO CRIME DE LATROCINIO AUTOS N 201800923222 -, DE MANEIRA QUE SUA PRISAO NESTES AUTOS SE FAZ NECESSARIA PARA A GARANTIA DA ORDEM PUBLICA, SENDO QUE MEDIDAS CAUTELARES DIVERSAS DA PRISAO SE MOSTRARAM INSUFICIENTES PARA A PROTECAO SOCIAL, COM FUNDAMENTO NO ART.413, 3 C/C 312, AMBOS DO CPP. ASSIM, DECRETO A PRISAO PREVENTIVA DA ACUSADA JUCELIA ALVES DOS SANTOS BORGES E DETERMINO A EXPEDICAO DO RESPECTIVO MANDADO DE PRISAO E DO QUE MAIS FOR NECESSARIO INCLUSIVE CARTA PRECATORIA -, PARA A REGULARIZACAO DA SITUACAO PRISIONAL. DETERMINO O DESENTRANHAMENTO DAS FLS. 200/201, SENDO ESTAS, COLACIONADAS AO SEU PROCESSO DE ORIGEM. DETERMINO, AINDA, QUE A ESCRIVANIA PROCEDA A CONFERENCIA E RENUMERACAO DOS NUMEROS DE PAGINAS, ESPECIALMENTE A PARTIR DA FL. 236. DECORRIDO O INTERSTICIO RECURSAL, INTIMEM-SE OS SUJEITOS PROCESSUAIS PARA OS FINS DO DISPOSTO NO ARTIGO 422 DO CODIGO DE PROCESSO PENAL. CIENTIFIQUE-SE O MINISTERIO PUBLICO. PUBLIQUE-SE. INTIMEM-SE. CUMPRA-SE.

RECAPITULANDO O CASO

1- Em outubro de 2015 Leonídio Borges Leal veio a óbito devido a uma lesão no cérebro após ficar alguns dias internado em um Hospital de Cuiabá.

2- Nesse período Jucélia que ate então havia sido acolhida por Leonídio em sua residência, juntamente com seus três filhos menores, afirmou que ele havia caído de uma rede e batido com a cabeça contra o chão. Versão não aceita pelos familiares da vitima que pediu uma investigação mais profunda do caso. Leonídio era divorciado e tinha 69 anos.

3- A polícia apura que a suspeita omitiu socorro ao demorar mais de um dia para levar o enfermeiro até hospital, que ela escondia a vitima em casa, não abria o portão para visitas e garantia que ele estava bem. O socorro a vitima somente foi possível graças à interferência de um amigo que insistiu em vê-lo.

4- A polícia técnica de Goiás realiza a reconstituição do suposto acidente doméstico que provocou a morte do enfermeiro e constata que ele morreu em consequência de um traumatismo craniano provocado por uma forte pancada na cabeça.

5- Após investigação foi descoberto que a assassina preparava diariamente doses de remédios fortes de tarja preta que era misturado em sucos de frutas e comida para dopar a vitima.


6-Na ocasião Jucelia trama oficialmente um casamento de fachada com a vitima já dominado pelo efeito dos medicamentos e realiza uma cerimonia simples de assinatura (às escondidas) no cartório de Aragarças e se “casa” com a vitima de olho na pensão e nos bens.

7-Após dez meses de investigação e com comprovações de laudos científicos afirmando que a suspeita não possui problemas mentais, em agosto de 2016 a Polícia Civil de Aragarças sob o comando do delegado Ricardo Galvão prende a suspeita Jucélia Alves dos Santos, cujo mandado foi expedido pelo juiz Samuel João Martins, após acolher parecer do Ministério Público. Jucélia negou o crime.

8- Com suporte jurídico do seu advogado Jucelia consegue liberdade e comete mais dois crimes, um deles sequestro com latrocínio seguido de morte, ela é presa e seu cumplice acaba confessando outro crime praticados por ela que culminou com a morte do garimpeiro que ela havia matado para roubar ouro.
 
TRAJETÓRIA DE UM HOMEM SIMPLES


Enfermeiro Leonídio Borges Leal

Leonídio Borges Leal era enfermeiro padrão, se formou em 1980 pela Universidade Federal de Mato Grosso em Cuiabá, fazia parte da 1ª turma que se formou em enfermagem através daquela conceituada Universidade publica.


 
Após sua formação acadêmica suas atividades profissionais se iniciaram ainda em Cuiabá no HGU-Hospital Geral Universitário, em seguida no Pronto Socorro da capital, antes da formação morando em Barra do Garças foi balconista por muitos anos em uma farmácia de Barra do Garças.
 
Durante o exercício da profissão a vitima foi professor e formou centenas alunos no  cursos técnico em enfermagem em todo o Vale do Araguaia, era  membro fundador do Corem- Conselho Regional de Enfermagem (sub-sede de Barra do Garças) e diretor do Pronto Socorro de Barra do Garças durante o governo do ex-prefeito Zózimo Chaparral, por indicação do ex-secretário de saúde Dr. Edvaldo Pereira da Silva, onde realizou um grande trabalho.
 
Leonídio Borges era uma pessoa bastante popular sendo reconhecido como um grande incentivador da juventude para sua formação profissional, homem de visão solidaria era dedicado à saúde publica e tratava todos iguais, seja rico seja pobre, seja negro seja branco, era sempre dedicado aos menos favorecidos.
 
Em seu rosto era notório o sorriso fácil e contagiante, forma sublime encontrada por ele para manifestar sua gratidão a Deus pelo dom da vida. Com sua alegria contagiante ele conseguia transmitia mais segurança e tranquilidade aos seus alunos amigos e pacientes.
 
Funcionário concursado da Funai-Fundação Nacional do Índio e também da Prefeitura de Barra do Garças, Leo, como era carinhosamente chamado por parentes e amigos que o rodeava, foi membro fundador da lojas maçônicas Portal de Aquarius e da loja Construtores da Liberdade, ambas em Barra do Garças, a ultima foi criada com o apoio de um dos seus grandes amigo, o professor Herculano da Silva Melo. Se vivo, no ultimo dia 20 de fevereiro ele completaria 74 anos.
 
A atenção aos menos favorecidos estava além dos hospitais, sala de aula e consultórios, era um assistente social nato pelo fato de dedicar também seu tempo e esforços aos mais necessitados sempre buscando amenizar e resolver os problemas das pessoas, era contribuinte na arrecadação de alimentos para o mais carentes, materiais de construção, muitos foram orientados e encaminhados para tratamentos em outros centros medico do pais, graças a sua atuação anônima.

Segundo informações, existe um movimento reivindicatório formado por varias entidades sociais e clubes de serviço de Barra do Garças e Aragarças para tentar convencer membros do legislativo e executivo para que seja apresentada uma justa homenagem in memoriam a esse grande desbravador da saúde e servidor publico que dedicou toda sua vida em prol do desenvolvimento dessas três cidades. Dar um nome a um prédio publico ou avenida seria um justo e aplausível reconhecimento.

 

 

FONTE: Antônio Borges Neto/Netão

  Seja o primeiro a comentar!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Envie seu comentário preenchendo os campos abaixo

Nome
E-mail
Localização
Comentário

Banner Superior Esquerda

Banner Central Esquerda

Banner Inferior Esquerda

 

 
 

 

 

COLUNAS E OPINIÃO

Blog do Samy Dana

Colunista O Repórter do Araguaia

Gerson Camarotti

Colunista O Repórter do Araguaia

 

VÍDEOS

 

Acesse nosso Canal no Youtube

 

NOSSOS PARCEIROS